Os rótulos e certificações

A etiquetagem dos produtos garante-lhe que o produto respeita as regras rigorosas da UE relativas à produção e transformação biológicas. Estas regras impõem que nenhum aroma artificial intensificador de sabor, corante ou edulcorante sejam utilizado na produção dos alimentos biológicos. Os OGM estão banidos da alimentação da criação biológica, bem como dos processos de transformação dos alimentos biológicos. Isso aplica-se tanto aos produtos biológicos produzidos na UE como aos importados. Eis os principais:

 Rótulo AB

AB significa Agricultura Biológica. Este rótulo francês, criado em 1985 pelo Ministério da Agricultura, é certificado por organismos independentes como a Ecocert, Agrocert, etc. Também é promovido pela Agência Francesa para o Desenvolvimento e a Promoção da Agricultura Biológica (Agence Bio).
Este rótulo garante que o alimento é composto por, pelo menos, 95% de ingredientes provenientes do modo de produção biológica (esta tolerância de 5% explica-se, nomeadamente, pelo facto de a água e o sal não poderem ser certificados) e que respeita a regulamentação em vigor em França.
Um alimento biológico certificado AB é um alimento:

  • Sem pesticidas.
  • Sem herbicidas químicos.
  • Sem fertilizantes artificiais.
  • Sem hormonas de crescimento.

Relativamente à criação, o rótulo AB garante a qualidade da alimentação dos animais e que o modo de criação e as condições de vida se adequam ao respeito pelos animais e ecossistema.

 

Nature et Progrès

A Nature et Progrès é uma associação de consumidores e profissionais datada de 1964 que se baseia num código muito estrito.
O seu caderno de encargos é mais restritivo do que o rótulo AB e considera também as embalagens e o transporte.


A Nature et Progrès é:

  • Uma agricultura biológica amiga dos seres humanos, dos animais, das plantas e do planeta.
  • Uma agricultura biológica biodiversificada capaz de satisfazer o prazer dos sabores e garantir a saúde.
  • Uma agricultura biológica que preserva a vida rural e os agricultores, revalorizando-os.
  • Uma agricultura biológica que apoia o saber-fazer e as sementes agrícolas.
  • Uma agricultura biológica, ética e rigorosa, sem condescendência para com a economia de mercado.

Nature et Progrès e os cosméticos:

  • 100% dos ingredientes naturais vegetais e animais devem ser biológicos, de preferência com o rótulo Nature et Progrès,
  • Demeter ou AB.
  • 0% de produtos sintéticos.
  • As embalagens e segundas embalagens devem ser biodegradáveis ou recicláveis.
  • Sem testes em animais.
  • Sem matérias-primas de origem animal, exceto os produtos provenientes de forma natural da agricultura biológica.
  • Exclusão total dos conservantes sintéticos como os parabenos ou o fenoxietanol.
  • Sem petroquímicos (parafina, silicone ou PEG).
  • Sem OGM (organismos geneticamente modificados).
  • Sem tratamentos ionizantes.

É o rótulo mais restritivo relativamente aos cosméticos.

Certificação Europeia

 

É praticamente idêntico ao rótulo francês em termos de restrições e permite garantir o rastreio dos produtos biológicos na União Europeia.

 

Cosmebio

 

O rótulo Cosmébio foi implementado por fabricantes europeus.
Para ter o rótulo Cosmébio, tem de ser certificado Ecocert e aderir à associação Cosmébio, o que não é obrigatório.
O rótulo Cosmébio é apenas uma ferramenta de comunicação para facilitar a escolha dos consumidores.

Demeter

Este rótulo define um modo de produção biodinâmico.
Foi Rudolf Steiner, antropósofo nos anos 1920, que criou os fundamentos da agricultura biodinâmica.
Por incrível que possa parecer, no início do século XX já se preocupavam com as consequências da agricultura intensiva e da utilização cada vez maior de fertilizantes químicos.
Para além do biológico, a biodinâmica considera os ciclos sazonais, lunares e planetários.


As terras são trabalhadas de acordo com os ritmos cósmicos.
A biodinâmica baseia-se na regeneração do ecossistema.
Não se trata apenas de cultivar sem produtos químicos, mas sim de trabalhar a terra em sinergia com todo o ecossistema e o universo!
Também é designada por "produção esotérica".

Ecocert

 

A Ecocert é um organismo independente de certificação.
Está presente em mais de 80 países e certifica a agricultura biológica, cosméticos biológicos, têxteis biológicos, produtos equitativos, detergentes ecológicos, ambientadores biológicos, fertilizantes e espaços verdes ecológicos. Verifica junto dos produtores e empresas se os cadernos de encargos foram devidamente respeitados.
Para isso, efetua visitas regulares e controlos sem aviso prévio.


Relativamente aos cosméticos, o produtor deve:

  • Privilegiar os ingredientes provenientes de recursos renováveis e transformados através de processos amigos do ambiente.
  • Privilegiar a utilização de ingredientes provenientes da Agricultura Biológica, a melhor garantia do respeito pelos valores ecológicos.

Para isso, a Ecocert impõe um mínimo de ingredientes provenientes deste modo de agricultura:

  • 10% do total do produto devem ser biológicos (a água não pode ser certificada).
  • 95% do total do produto devem ser naturais.
  • 95% destes ingredientes naturais provenientes dos vegetais devem ser biológicos.
  • 5%, no máximo, de produtos sintéticos ainda indisponíveis numa forma natural (estes ingredientes devem cumprir com os requisitos de uma lista positiva muito restritiva que exclui PEG, silicones, derivados petroquímicos, parabenos, etc.).
  • As embalagens e segundas embalagens devem ser biodegradáveis ou recicláveis.
  • Sem testes em animais.

BDIH

 

É o rótulo alemão dos cosméticos naturais e biológicos.


Garante:

  • Cosméticos formulados a partir de matérias-primas naturais provenientes do reino vegetal ou mineral, com prioridade dada aos vegetais de cultura biológica.
  • Bases de lavagem e emulsionantes de origem vegetal, obtidos através de técnicas "suaves" (hidrólise e esterificação).
  • A utilização muito restritiva de determinados conservantes suaves (ácido benzoico e ácido sórbico).

São proibidos:

  • Produtos petroquímicos.
  • Corantes ou perfumes sintéticos.
  • Bases de lavagem ou emulsionantes etoxilados.
  • Irradiação.
  • Matérias-primas geneticamente modificadas (OGM).
  • Matérias-primas de origem animal, exceto se provenientes de um animal vivo (exemplo: lanolina).
  • Espermacete ou colagénio animal.
  • Testes em animais.

São autorizados:

A estrutura do caderno de encargos BDIH é a "lista positiva" de ingredientes autorizados.
Esta lista contém 690 componentes de 20 000 catalogados.
Um único ingrediente não autorizado impede a certificação.